domingo, 18 de março de 2018

Coleção MEMÓRIAS São José das Três Ilhas

O projeto MEMÓRIAS JF, após duas edições, cresceu e se desmembrou. Com muito orgulho, o Ateliê fez parte das duas edições que buscaram resgatar e valorizar a memória da cidade. Em seguida, seguimos fazendo parte desse novo momento, quando a iniciativa chegou a São José das Três Ilhas (MG).
O MEMÓRIAS São José das Três Ilhas nasceu sob iniciativa de uma das participantes do MEMÓRIAS JF, que tem laços com o local, propriedade e vários descendentes. A ideia não poderia ser mais desafiadora e, assim, surgiu o primeiro desdobramento do MEMÓRIAS. 
 
 

O MEMÓRIAS São José tem por objetivo fomentar o desenvolvimento do potencial criativo da localidade por meio de exposições temáticas que abordem pilares como arte, artesanato, design, fotografia e souvenirs. A proposta é envolver, portanto, produtores locais criativos junto a demais atuantes da economia criativa que apresentarem intuitos similares. Resgatando valores afetivos, o projeto contribui diretamente para o turismo e economia locais, valorizando a história, envolvendo a população, a produção e o modo de viver dos moradores.
Os participantes dessa edição do MEMÓRIAS têm como foco elevar o status local a partir da imagem de São José. O projeto, encabeçado por Josiany do Amaral, com participação de Helgan Noly, conta com apoio da AMA – Associação de Moradores– e da Florat, (Associação de Artesãos de Manuel Duarte e Porto das Flores). 
 
A proposta do Cristina Martins Ateliê envolve dois segmentos: arte sacra e souvenirs, compondo uma linha de imagens e gifts. Confira abaixo :)
 
Souvenir - Ímã - São José

Souvenir - Porta-joias - São José

Souvenir - São José

Arte sacra - Imagem em gesso - São José

Arte sacra - Imagem em gesso - São José

Arte sacra - Imagem em gesso - São José Dormindo
 
 Curtindo a página do projeto no Facebook, você pode saber onde adquirir cada uma dessas peças e ficar por dentro das novidades!
 
Saiba mais sobre Arte Sacra no nosso Coletivo de Arte: www.coletivodearte.tumblr.com
 
Espero que gostem!  


 

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Lançamento MEMÓRIAS São José das Três Ilhas

O projeto MEMÓRIAS JF, após duas edições, cresceu e se desmembrou. Com muito orgulho, o Ateliê fez parte das duas edições que buscaram resgatar e valorizar a memória da cidade. Agora, seguimos fazendo parte desse novo momento, quando a iniciativa chega a São José das Três Ilhas (MG).

O MEMÓRIAS São José das Três Ilhas nasceu sob iniciativa de uma das participantes do MEMÓRIAS JF, que tem laços com o local, propriedade e vários descendentes. A ideia não poderia ser mais desafiadora e, assim, surgiu o primeiro desdobramento do MEMÓRIAS. 




São José das Três Ilhas é um pequeno distrito de Belmiro Braga, localizado entre o próprio município de Belmiro Braga e Rio das Flores, quase na fronteira entre RJ e MG, Trata-se de uma vila de belo conjunto arquitetônico, formado por uma espetacular igreja de pedra e dezenas de casarões coloniais bem conservados do século 19. São cerca de trinta edificações antigas tombadas que, junto ao clima bucólico e sereno do local, constituem mais um tesouro brasileiro.

O MEMÓRIAS São José tem por objetivo fomentar o desenvolvimento do potencial criativo da localidade por meio de exposições temáticas que abordem pilares como arte, artesanato, design, fotografia e souvenirs. A proposta é envolver, portanto, produtores locais criativos junto a demais atuantes da economia criativa que apresentarem intuitos similares. Resgatando valores afetivos, o projeto contribuirá diretamente para o turismo e economia locais, valorizando a história, envolvendo a população, a produção e o modo de viver dos moradores.

Os participantes dessa edição do MEMÓRIAS tem como foco elevar o status local a partir da imagem de São José. O projeto, encabeçado por Josiany do Amaral, com participação de Helgan Noly, conta com apoio da AMA – Associação de Moradores– e da Florat, (Associação de Artesãos de Manuel Duarte e Porto das Flores).

Confira o time do MEMÓRIAS São José:

Josy Amaral - artesã e pedagoga - souvenirs - canecas e camisas
Helgan Noly - artista plástico - mosaico e bijouterias
Rogerio Batista - artista plástico - designer - janelas
Cristina Martins – artista e artesã – arte sacra e souvenirs – imagens e gifts
Silvania Duarte - fotógrafa - fotografias
Milena Valéria - artesã - descansos de copos e blocos
Ricardo Crosfaro - artista plástico - quadros em ferro

O lançamento acontece dia 8/12, às 16h, na Florart em Manuel Duarte, onde as peças podem ser adquiridas. Será possível comprar itens do MEMÓRIAS também pelo Facebook ou Instagram. 



E curta a página do projeto: https://www.facebook.com/memoriassaojose/

Em breve, mostraremos a coleção completa do Ateliê para o projeto aqui ;)

sábado, 26 de agosto de 2017

DIY: Peças Vintage


Como vocês sabem, o nosso Ateliê também oferece Cursos Regulares de DIY em diversos materiais, com destaque para o vidro e o MDF. Nesse link, a gente mostrou um pouco dessas aulas e algumas das criações das nossas alunas. Tudo lindo!

Agora, reunimos neste post alguns dos projetos realizados por aqui com vidro e mdf :)














E nesta semana, uma nova Garrafa Vintage entrou pra lista de projetos - um modelo com decoupage transparente e detalhes nas laterais com arabescos com pasta fosqueante. Superdelicada!





Gostou e quer aprender a fazer?
Vem saber mais sobre os Cursos do Ateliê aqui.

;)


domingo, 30 de abril de 2017

Lançamento 2ª Coleção MEMÓRIAS JF

Em novembro de 2016, a Traços de Minas lançou o projeto MEMÓRIAS JF, lembram? Nós contamos nesse post tudo sobre a proposta do projeto, o porquê da iniciativa e sua importância para a história de Juiz de Fora (MG). Já nesse post, mostramos todos os artistas participantes, suas inspirações e o resultado de cada uma de suas criações. Em resumo, o projeto busca a valorização da história da cidade a partir do olhar criativo. Em outras palavras: a arte traduzindo a nossa trajetória local.

Agora, é hora de descobrir a 2ª Coleção do MEMÓRIAS JF, cujo tema traz um ícone da nossa cidade: o Museu Mariano Procópio. Batizada de "Museu Mariano Procópio: OLHARES", a coleção traz obras de artistas locais inspiradas em um dos símbolos de Juiz de Fora e suas histórias.





Então, fica o convite para conhecer tudo de perto e ainda celebrar esse lançamento com a gente!

Lançamento 2ª Coleção do MEMÓRIAS JF
06 de maio, a partir das 10h
Local: Museu Mariano Procópio - R. Mariano Procópio, 1100.

E abaixo, confira um pouco da nossa edição limitada para a 2a edição do projeto, inspirada em dois pontos-ícone do Museu: a Sala Maria Pardos e a flora do local.

Um dos espaços de destaque do Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora, a Sala Maria Pardos carrega a homenagem à artista e esposa de Alfredo Ferreira Lage – fundador do Museu. Em 1921, celebrando o centenário do nascimento de seu pai, Mariano Procópio, Alfredo dá um destino importante às suas coleções, que passam a constituir um museu público. Ao seu lado, Maria Pardos colaborou significativamente com a criação do espaço. Aluna de Rodolpho Amoedo, a pintora é reconhecida por pinceladas leves em obras cuja temática conjuga cenas do cotidiano, que traduzem aspectos sociais dos séculos XIX e XX, além de retratos e naturezas mortas. O Museu guarda parte da produção de Maria Pardos, composta por mais de 200 desenhos e 40 pinturas em óleo e aquarela. A Sala Maria Pardos traz, ainda, um busto da artista em gesso, assinado pelo escultor Modestino Kanto.

O centro urbano de Juiz de Fora abriga um verdadeiro oásis para os apaixonados por natureza. O Parque do Museu Mariano Procópio revela uma flora de diversidade surpreendente, que traduz a riqueza exuberante deste ecossistema. Ali, rosas, íris e lírios, típicos de jardins, convivem com orquídeas, bambus e exemplares de grande porte, como palmeiras e jatobás. No bosque, que ocupa dois terços da área, é possível se encantar com as nativas – como sapucaia, jabuticaba, pitanga e bálsamo –, bem como admirar a presença da palmeira imperial, da jaqueira e da espatódea. Na Alameda das Saboneteiras, azaleias e camélias se destacam no inverno, junto à exótica árvore Saboneteira. Já a Alameda Árvore do Viajante faz referência à presença dessa planta originária de Madagascar, cujas folhas funcionavam como reserva de água utilizada por viajantes para matarem a sede em longos trajetos.
 

Esperamos vocês!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails